Montando o quarto do bebê

Confira dicas de como montar um quarto funcional, seguro e aconchegante para um recém-nascido

Um dos momentos mais empolgantes e, ao mesmo tempo, estressantes da gravidez é a montagem do quarto do bebê. Afinal, há muitas decisões a serem tomadas em um curto período de tempo, com os hormônios e a ansiedade à flor da pele. 

Quando se é pai ou mãe de primeira viagem, o desafio é ainda maior. Qual modelo de berço escolher? Cômoda, guarda-roupa ou ambos? Ar-condicionado ou climatizador de ar? O mercado oferece uma infinidade de opções que podem te deixar inseguro e dificultar suas escolhas.

Mas, se você está passando por isso, não se preocupe. Neste artigo, reunimos dicas valiosas sobre como montar um quartinho funcional, seguro, confortável e lindo para seu tão sonhado filho. Confira!

Qual modelo de berço escolher?

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) tem algumas recomendações de segurança em relação ao berço do bebê. Veja a seguir.

  • Pintura: a tinta utilizada deve ser atóxica;
  • Altura: as grades devem ter pelo menos 60 cm de altura, contados a partir do colchão. Além disso, o ideal é que sejam fixas. Caso sejam móveis, devem ter travas; 
  • Bordas: tanto as bordas quanto as partes salientes do berço, como quinas, devem ser arredondadas para evitar ferimentos;
  • Colchão: a densidade do colchão do bebê deve ser 18 (D18) e o vão entre o colchão e a lateral deve ter no máximo 2,5 cm;
  • Estrado: a indicação é que o estrado (parte do berço que sustenta o colchão) seja uma placa inteira, sem nenhum vão;
  • Grades: a distância máxima entre as grades deve ser de 6 cm, impedindo que o bebê enrosque as mãozinhas, os pezinhos e os ombros no espaço.

Montando o quarto do bebê

Cômoda, guarda-roupa ou ambos?

Em relação ao móvel usado para armazenar as roupinhas e os outros itens do seu bebê, a escolha deve ser baseada no espaço que você tem disponível.

Por exemplo, caso o quarto seja pequeno, a cômoda pode ser a melhor opção, pois também funciona como trocador, evitando que você precise de um móvel exclusivo para essa função. 

Nesse caso, basta escolher uma cômoda com bastante gavetas e uma boa profundidade, que sejam suficientes para comportar o kit higiene e o trocador do seu filho na parte de cima.

Agora, se você tiver mais espaço ou optar por outro tipo de trocador, como o trocador portátil ou acoplado no suporte da banheira, o guarda-roupa pode ser a melhor escolha.

Caso você queira incluir ambos no quarto do seu bebê, atente-se à circulação. É fundamental que haja espaço para caminhar com segurança, afinal, você estará carregando a coisa mais preciosa do mundo em seus braços.

Ar-condicionado ou climatizador de ar?

Tanto o ar-condicionado quanto o climatizador de ar podem ser usados no quarto do seu bebê, mas existem algumas diferenças entre os dois aparelhos.

De acordo com os especialistas, não é bom que um recém-nascido respire um ar muito frio, pois pode ressecar o narizinho, fazendo com que ele sinta um incômodo, tenha vontade de mamar e acorde com mais frequência durante a noite. 

Enquanto o ar-condicionado refresca o cômodo e deixa o ar seco, o climatizador reduz a temperatura do espaço por meio da água, deixando o ambiente mais úmido. Portanto, a depender do clima de onde você mora, o climatizador pode ser a melhor opção.

Montando o quarto do bebê

Cuidados a serem tomados

Por fim, é importante destacar alguns cuidados que devem ser tomados durante o processo de montagem do quarto do seu bebê, além das escolhas dos móveis.

O kit berço, por exemplo, não deve ser utilizado. Embora seja lindo, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) destaca que ele não é seguro para seu filho. Existem diversos riscos, entre eles, o de sufocamento.

A única coisa que deve ser usada no berço é um protetor de colchão e um lençol de elástico, ambos muito bem presos. E em relação às grades, você pode usar uma tela de proteção. Mais nada.

Por fim, a SBP também recomenda que o bebê durma no quarto dos pais, em berço separado, até os 6 meses de idade, também por questões de segurança.